INTERNACIONAL – EMPRESAS DOS ESTADOS UNIDOS PRECISAM DE 50 MIL CAMINHONEIROS, COM SALÁRIOS ANUAIS DE ATÉ 73 MIL DÓLARES

As mulheres representam 47% da força de trabalho total dos EUA. No entanto, apenas 6% de todos os motoristas de caminhão são mulheres, de acordo com o Ministério do Trabalho e da ATA.

Para se qualificar, os motoristas devem ter pelo menos 21 anos, uma carteira de motorista de caminhão comercial, passar uma verificação de antecedentes criminais e um teste de drogas. Estes requisitos não mudaram em anos, dizem especialistas.

MERCADO – TRANSPORTADORAS TÊM GASTOS MAIORES E CONTRATAM MENOS EM ARARAQUARA, SP

No ano de 2014, faltavam motoristas para preencher as vagas. “A gente tinha um custo de 35% diesel mais pedágio. Há dois anos. Hoje esse custo é de 60%, 65%”, explicou o presidente. Na transportadora de Claudio José Caride, o pátio costumava ficar vazio, mas agora está repleto de caminhões parados. A empresa fazia mais de 200 viagens semanais, mas agora faz cerca de 100 por conta da crise e o aumento no preço do pedágio. Apesar dos custos maiores, não é possível repassar o valor para o frete. “A cobrança do eixo suspenso foi o fim do transporte rodoviário.

LEGISLAÇÃO – MPF PROCESSA EMPRESAS COM CAMINHÕES COM EXCESSO DE PESO

As rodovias federais mantidas por concessionárias como a Régis Bittencourt, a Fernão Dias e a Dutra têm balanças que apontam o nível dos abusos. “Nós já pegamos aqui na balança caminhões feitos pra 45 toneladas com 80, 90 toneladas. Caminhões pra 70 toneladas com quase 100. Claro que o excesso de peso diminui a vida útil do pavimento.

MERCADO – BOLHA RODOVIÁRIA: EXCESSO DE CAMINHÕES PRESSIONA VALOR DO FRETE E AGRAVA ENDIVIDAMENTO

Sem dívida alguma, tem que tirar a pressão sobre o transportador. Mas é preciso atacar a questão da bolha, por exemplo, fazendo o que o governo federal não fez lá atrás, que é uma política de renovação da frota, com a retirada dos veículos muito antigos de circulação e a reciclagem desse material. A estimativa é que existam até 150 mil caminhões com mais de 25 anos ainda sendo utilizados. E isso deve ocorrer sem aumento da frota.

MERCADO – ANFAVEA PREVÊ QUEDA DE 34,3% NA VENDA DE CAMINHÕES EM 2015

De acordo com Moraes, as previsões levam em conta o cenário de ajuste econômico pelo qual passa o Brasil, que gera baixa confiança de consumidores e investidores, e de juros e condições de financiamento por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) piores do que antes. A projeção, porém, não considera as vendas de pesados para o governo, que, segundo o executivo, somaram cerca de 10 mil unidades em 2014.