Recall de ônibus e caminhões Mercedes envolve mais de 27 mil unidades

01/02/2011

A Mercedes-Benz iniciou o procedimento de recall para 27.940 mil ônibus e caminhões produzidos entre 2008 e 2010. Dos veículos convocados, 250 foram comercializados no Distrito Federal. A decisão ocorreu após os técnicos da montadora constatarem ter entrado água na graxa usada em alguns componentes, ainda na linha de montagem, o que pode gerar perda da dirigibilidade. Os modelos são: ônibus O 500 MA, anos 2009/2010, chassis 9BM382154 9B 666132 a 9BM382154 BB 750204 e OF 1722 e OF 1721, anos 2008 a 2010, chassis 9BM 384075 8B 610005 a 9BM 384078 BB 757912. Em relação aos caminhões, foram chamadas as versões 6X2 dos modelos L 1620, Atego e Axor, chassis 9BM695302 9B 686101 a 9BM695304 BB 745808; 9BM958094 9B 685052 a 9BM959096 BB 750558 e 9BM958254 9B 684903 a 9BM958254 BB 751 493, respectivamente.

Os proprietários devem agendar junto às concessionárias data e local para substituição gratuita da graxa dos rolamentos, dos retentores, das travas e juntas dos cubos de rodas e, se necessário, também dos rolamentos dos cubos de rodas ou para a troca dos grampos da suspensão traseira — desde que o feixe de molas seja original. No caso de um feixe não original, esse deverá apresentar as mesmas características e medidas da peça genuína. Dúvidas devem ser encaminhadas para a Central de Atendimento ao
Cliente Mercedes-Benz pelo telefone 0800 970 90 90 ou pelo site www.mercedes-benz.com.br.

Esse foi o terceiro recall anunciado no primeiro mês do ano. Há uma semana, a Ford chamou para reparo 300.860 unidades dos modelos EcoSport, Fiesta RoCam Hatch e Sedan, anos 2007 a 2011, que apresentaram falhas no mecanismo de trava de segurança das portas traseiras. Poucos dias depois foi a vez da Peugeot detectar defeitos de fabricação em 253 unidades do modelo Hoggar, ano 2010.

Nos últimos três anos, as convocações de carros e motos cresceram sucessivamente. Em 2008, foram 27 de veículos (468,2 mil unidades) e seis de motos (297,2 mil unidades). No ano seguinte, 36 campanhas convocaram 461,3 mil veículos e oito campanhas, 268,1 mil motos. O recorde é do ano passado, quando o número de veículos com defeito ultrapassou a marca de 1 milhão, em 51 chamadas, além de outras 12 que convocaram 341,6 mil motos.

O reparo de veículos convocados pode ser feito a qualquer momento, mesmo que o chamado tenha ocorrido há muitos anos. As fabricantes têm a obrigação de oferecer o serviço gratuitamente. Dados do Ministério das Cidades apontam que entre 30% e 40% do total de proprietários de carros defeituosos não atenderam recalls. Para combater esse problema, há cerca de um mês, foi publicada no Diário Oficial da União uma portaria conjunta entre a Secretaria de Direito Econômico (SDE), do Ministério da Justiça, e o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) definindo prazos e obrigações das montadoras no processo de comunicação das campanhas para o Sistema de Aviso de Riscos. A medida passará a valer 90 dias após a publicação — que ocorreu em 17 de dezembro.

Fonte : Correio Braziliense

Gostou? Indique:

Comente

Comentários

Powered by Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.